13. ONDE SE PRODUZ VINHO EM PORTUGAL?

Cada garrafa de vinho português contém a sabedoria e a dedicação de muitas gerações de produtores. E os seus gostos, tradições e perícias têm criado, ao longo dos anos, vinhos excecionais. Os produtores portugueses são mestres em perceber o potencial de um país cheio de diversidade, e têm mostrado determinação heróica no sentido de preservar e desenvolver o património de mais de 250 castas nativas — e a maioria destas não se produz em qualquer outra parte do mundo. (ViniPortugal)

Internacionalmente, Portugal é mais conhecido pelo Vinho do Porto. Mas é também neste “à beira mar plantado” que se produzem alguns dos melhores vinhos tranquilos do mundo, a partir de mais de 250 variedades de uvas nativas. Para conhecer as regiões e, assim, melhor entender os vinhos que por lá se produzem, é imperativo apreender que as regiões não produzem todas os mesmos tipos de vinho e nem todas recebem as mesmas denominações. Eis a distribuição geográfica, figurada pela ViniPortugal:

regioes

É bem verdade que muito há a dizer sobre cada uma destas regiões, mas decerto que umas merecem maior atenção, pelo seu contributo na afirmação de Portugal na cena internacional do vinho: Verdes, Douro, Dão, Bairrada, Lisboa, Península de Setúbal, Alentejo e Madeira.

 

VERDES
Casta tinta: Vinhão
Castas brancas: Alvarinho e Loureiro

Reconhecida em 1908, a Região Demarcada dos Vinhos Verdes estende-se por todo o noroeste de Portugal. Aqui, as condições naturais são ideais para a produção de excelentes vinhos tranquilos brancos e rosados e de espumantes, que que se apresentam leves, frescos, jovens e intensamente aromáticos.

DOURO
Castas tintas: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Touriga Franca, Tinta Barroca e Tinto Cão
Castas brancas: Rabigato, Viosinho e Gouveio

Há dois mil anos que aqui se produz vinho. Em 1756, o Douro tornou-se a primeira das grandes regiões vitivinícolas clássicas a ser legalmente demarcada. O Vinho do Porto é aqui produzido e é o mais famoso vinho português. Mas, além deste, também aqui se produzem alguns dos mais queridos vinhos tranquilos do mundo, os DOC Douro.

DÃO
Castas tintas: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Jaen eAlfrocheiro
Castas brancas: Encruzado, Malvasia Fina, Bical e Cerceal Branco

O Dão tem sido identificado pelos colecionadores como um lugar de excelente qualidade. Os vinhos do Dão são mais leves que os do Douro, mas têm mostrado grandes potencialidades para o envelhecimento, devido à sua acidez e à evolução dos taninos, que ajudam a manter os vinhos “saudáveis” por mais tempo.

BAIRRADA
Castas tintas: Baga
Castas brancas: Arinto

A Bairrada é uma das “novas” regiões vitivinícolas portuguesas. Nova não em idade, mas na atenção que lhe vem sendo dada nas útlimas décadas. Diz-se, por tradição, que aqui se produzem os melhores espumantes portugueses.

LISBOA
Castas tintas: Trincadeira e Alicante Bouschet
Castas brancas: Arinto e Fernão Pires

Esta é outra das “novas” regiões portuguesas. Moderna, dinâmica e diversificada, encontram-se aqui vários tipos de vinhos, como os Alenquer, Bucelas e Colares, que estão a chamar a atenção dos apreciadores internacionais, pela relação qualidade/preço.

PENÍNSULA DE SETÚBAL
Castas tintas: Castelão, Syrah, Aragonez e Touriga Nacional
Castas brancas: Moscatel de Setúbal, Fernão Pires, Arinto, Moscatel Roxo e Chardonnay

A Península de Setúbal é mais conhecida pelo Moscatel de Setúbal. Um pouco à semelhança do que se passa no Douro, a região não “vive” apenas dos vinhos licorosos. Aqui fazem-se vinhos tranquilos tintos, brancos e rosados de qualidade a preços muito convidativos.

ALENTEJO
Castas tintas: Alicante Bouschet, Aragonez, Trincadeira, Castelão e Alfrocheiro
Castas brancas: Arinto, Antão Vaz, Roupeiro, Fernão Pires e Arinto

A área total de vinha do Alentejo ronda os 24 mil hectares, distribuídos por cerca de 4 mil proprietários. Esta é uma região vitivinícola clássica, reconhecida e amada por entusiastas de todo o mundo.

MADEIRA
Casta tinta: Tinta Negra
Castas brancas: Sercial, Verdelho, Boal, Malvasia, Terrantez

Esta região vitivinícola extende-se ao longo de 500 hectares. Os Vinhos da Madeira são vinhos licorosos, como os Vinhos do Porto e os Moscatéis de Setúbal. No entanto, ao contrário dos Portos, os Madeiras são produzidos, quase sempre, a partir de uvas brancas.

 

O brinde para concluir

A pequenez territorial deste nosso Portugal é, concomitantemente, fantástica pela imensa diversidade de castas e de estilos de vinhos que cá se produzem, desde os tranquilos tintos, brancos e rosados, aos espumantes e aos licorosos. Uma boa forma de melhor entender estas diferenças, mesmo sem sair de casa, é provares referências de cada região, e degustares tu mesmo/a o que aqui é exposto.

 

Curiosidades

  • Portugal é o sétimo país do mundo com maior área de cultivo de vinha, com cerca de 225 mil hectares.
  • O único setor económico em que Portugal é excedentário é o do vinho, onde o seu nível de autossuficiência é superior a 100%.
  • A Região do Douro foi demarcada quase um século antes do reconhecimento da região de Bordéus (França).
  • No Brasil, o vinho tinto mais vendido é o Periquita Tinto, da Península de Setúbal, produzido pela José Maria da Fonseca.
  • O Vinho Verde mais vendido no mundo é o Casal Garcia Branco, do Grupo Aveleda.

 

Fontes: Memórias das longas leituras do Rizz.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s