13. ONDE SE PRODUZ VINHO EM PORTUGAL?

Cada garrafa de vinho português contém a sabedoria e a dedicação de muitas gerações de produtores. E os seus gostos, tradições e perícias têm criado, ao longo dos anos, vinhos excecionais. Os produtores portugueses são mestres em perceber o potencial de um país cheio de diversidade, e têm mostrado determinação heróica no sentido de preservar e desenvolver o património de mais de 250 castas nativas — e a maioria destas não se produz em qualquer outra parte do mundo. (ViniPortugal)

Internacionalmente, Portugal é mais conhecido pelo Vinho do Porto. Mas é também neste “à beira mar plantado” que se produzem alguns dos melhores vinhos tranquilos do mundo, a partir de mais de 250 variedades de uvas nativas. Para conhecer as regiões e, assim, melhor entender os vinhos que por lá se produzem, é imperativo apreender que as regiões não produzem todas os mesmos tipos de vinho e nem todas recebem as mesmas denominações. Eis a distribuição geográfica, figurada pela ViniPortugal:

regioes

É bem verdade que muito há a dizer sobre cada uma destas regiões, mas decerto que umas merecem maior atenção, pelo seu contributo na afirmação de Portugal na cena internacional do vinho: Verdes, Douro, Dão, Bairrada, Lisboa, Península de Setúbal, Alentejo e Madeira.

VERDES
Casta tinta: Vinhão
Castas brancas: Alvarinho e Loureiro

Reconhecida em 1908, a Região Demarcada dos Vinhos Verdes estende-se por todo o noroeste de Portugal. Aqui, as condições naturais são ideais para a produção de excelentes vinhos tranquilos brancos e rosados e de espumantes, que que se apresentam leves, frescos, jovens e intensamente aromáticos.

DOURO
Castas tintas: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Touriga Franca, Tinta Barroca e Tinto Cão
Castas brancas: Rabigato, Viosinho e Gouveio

Há dois mil anos que aqui se produz vinho. Em 1756, o Douro tornou-se a primeira das grandes regiões vitivinícolas clássicas a ser legalmente demarcada. O Vinho do Porto é aqui produzido e é o mais famoso vinho português. Mas, além deste, também aqui se produzem alguns dos mais queridos vinhos tranquilos do mundo, os DOC Douro.

DÃO
Castas tintas: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Jaen eAlfrocheiro
Castas brancas: Encruzado, Malvasia Fina, Bical e Cerceal Branco

O Dão tem sido identificado pelos colecionadores como um lugar de excelente qualidade. Os vinhos do Dão são mais leves que os do Douro, mas têm mostrado grandes potencialidades para o envelhecimento, devido à sua acidez e à evolução dos taninos, que ajudam a manter os vinhos “saudáveis” por mais tempo.

BAIRRADA
Castas tintas: Baga
Castas brancas: Arinto

A Bairrada é uma das “novas” regiões vitivinícolas portuguesas. Nova não em idade, mas na atenção que lhe vem sendo dada nas útlimas décadas. Diz-se, por tradição, que aqui se produzem os melhores espumantes portugueses.

LISBOA
Castas tintas: Trincadeira e Alicante Bouschet
Castas brancas: Arinto e Fernão Pires

Esta é outra das “novas” regiões portuguesas. Moderna, dinâmica e diversificada, encontram-se aqui vários tipos de vinhos, como os Alenquer, Bucelas e Colares, que estão a chamar a atenção dos apreciadores internacionais, pela relação qualidade/preço.

PENÍNSULA DE SETÚBAL
Castas tintas: Castelão, Syrah, Aragonez e Touriga Nacional
Castas brancas: Moscatel de Setúbal, Fernão Pires, Arinto, Moscatel Roxo e Chardonnay

A Península de Setúbal é mais conhecida pelo Moscatel de Setúbal. Um pouco à semelhança do que se passa no Douro, a região não “vive” apenas dos vinhos licorosos. Aqui fazem-se vinhos tranquilos tintos, brancos e rosados de qualidade a preços muito convidativos.

ALENTEJO
Castas tintas: Alicante Bouschet, Aragonez, Trincadeira, Castelão e Alfrocheiro
Castas brancas: Arinto, Antão Vaz, Roupeiro, Fernão Pires e Arinto

A área total de vinha do Alentejo ronda os 24 mil hectares, distribuídos por cerca de 4 mil proprietários. Esta é uma região vitivinícola clássica, reconhecida e amada por entusiastas de todo o mundo.

MADEIRA
Casta tinta: Tinta Negra
Castas brancas: Sercial, Verdelho, Boal, Malvasia, Terrantez

Esta região vitivinícola extende-se ao longo de 500 hectares. Os Vinhos da Madeira são vinhos licorosos, como os Vinhos do Porto e os Moscatéis de Setúbal. No entanto, ao contrário dos Portos, os Madeiras são produzidos, quase sempre, a partir de uvas brancas.

O brinde para concluir

A pequenez territorial deste nosso Portugal é, concomitantemente, fantástica pela imensa diversidade de castas e de estilos de vinhos que cá se produzem, desde os tranquilos tintos, brancos e rosados, aos espumantes e aos licorosos. Uma boa forma de melhor entender estas diferenças, mesmo sem sair de casa, é provares referências de cada região, e degustares tu mesmo/a o que aqui é exposto.

CURIOSIDADES

  • Portugal é o sétimo país do mundo com maior área de cultivo de vinha, com cerca de 225 mil hectares.
  • O único setor económico em que Portugal é excedentário é o do vinho, onde o seu nível de autossuficiência é superior a 100%.
  • A Região do Douro foi demarcada quase um século antes do reconhecimento da região de Bordéus (França).
  • No Brasil, o vinho tinto mais vendido é o Periquita Tinto, da Península de Setúbal, produzido pela vinícola José Maria da Fonseca.
  • O Vinho Verde mais vendido no mundo é o Casal Garcia Branco, do Grupo Aveleda.

 

Fontes: Memórias das longas leituras do Rizz.

One thought on “13. ONDE SE PRODUZ VINHO EM PORTUGAL?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s