12. ABRIR UMA GARRAFA DE VINHO TRANQUILO

Introduzi já alguns conceitos teóricos, e achei por bem passar, agora, a uma referência prática. Abrir uma garrafa de vinho pode parecer uma simples ação quotidiana (ou mais ou menos quotidiana, consoante os hábitos de consumo de cada pessoa). No entanto, para muitos enófilos (o.m.q. wine lovers), é considerada uma verdadeira arte, uma encenação, um momento dotado de suspense onde aglutinam a ânsia de abrir a garrafa e a toada de ouvir o pop do extrair da rolha e do glop do cair do vinho no cálice.

Existem vários tipos de garrafas, maioritariamente relacionadas com o estilo de vinho que contêm. Hoje, abordo os vinhos tranquilos.

Como abrir, então, uma garrafa de vinho tranquilo?

A eterna discussão sobre onde cortar a cápsula (ou lacre)! Ao longo dos últimos anos, fui contactando com profissionais muitíssimo experientes e nomeados do setor, desde enófilos, enólogos, sommeliers, professores e outros formadores, candidatos ao Master of Wine (um dos mais altos galardões no mundo dos vinhos, a par do Master Sommelier), e até produtores de vidro, de cortiça e de plástico.

Depois de várias opiniões, sugestões, exposições, e até explicações de perfil mais científico, constatei que, de um lado, está uma mera questão de gosto pessoal e, do outro, um caráter talvez mais higiénico. Isto porque, quando se debate a temática da abertura do lacre envolta da rolha, uns preferem removê-lo por completo, e outros (como eu) preferem mantê-lo, para embelezar a garrafa. Optando por manter, surge a eterna pergunta: devo cortar no primeiro ou no segundo anel do gargalo da garrafa? Eis a minha sugestão: cortar pelo segundo anel.

É universal que há vinhos que se deterioram com o tempo, que há falhas nos engarrafamentos, ou que as rolhas podem apodrecer. Quando algum destes se verifica, é natural que a parte exterior da rolha esteja danificada, apresentando, comummente, vestígios de bolor. Ora, cortando o lacre pelo primeiro anel, haverá maior probabilidade de elementos de contágio entrarem na garrafa durante a sua abertura. Ao cortar pelo segundo anel, há mais espaço útil do gargalo para limpar, aumentando, desta feita, a área higienizada.

É impreterível que a garrafa esteja firme e numa superfície não escorregadia. Depois, segue os passos seguintes:

1. Cortar o lacre, circularmente, pelo segundo anel do gargalo da garrafa. Pode ser feito com a lâmina do saca-rolhas ou uma faca.
img_20170302_215832.jpg

2. Colocar a ponta do saca-rolha no centro da rolha.
img_20170302_215813.jpg

3. Em ângulo reto, girar no sentido horário pressionando o saca-rolha contra a garrafa.
img_20170302_215748.jpg

3. Colocar a pequena dobradiça sobre o desnível do gargalo. Segurar a dobradiça com uma mão, pressionando-a, e com a outra mão puxar o saca-rolha para cima. Quando mais de metade da rolha estiver para fora, já poderás puxar o restante apenas com a mão e sem a ajuda da dobradiça.img_20170302_215715.jpg

E, se a rolha não partiu, o vinho está pronto a servir! Se por acaso partir, repete a partir do passo número 2, mas mais cuidadosamente. À partida, conseguirás. No entanto, se, ainda assim não tiveres sucesso, e se estás naquela fase em que tudo vale para libertar o vinho dessa garrafa, empurra a rolha, deixa que ela caia dentro da garrafa e passa o vinho para outro recipiente. E, importantíssimo, não digas que eu aconselhei empurrar a rolha para dentro.

Cortesia de imagens: WineFolly.

Fontes: Memórias das longas leituras do Rizz.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s